Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]


26
Jul14

A nostalgia do Mágico

por Inês Rocha

 

Quando era miúda, já não gostava muito de moda. O que eu gostava era de vestir umas calças de ganga, calçar umas sapatilhas (sim, “ténis” é um desporto) e ir jogar futebol com os rapazes.

 

Lembro-me como se fosse hoje de um dia de chuva, na altura da escola primária, em que ignoramos as ordens da funcionária e fomos para o campo jogar. Chegamos todos encharcados à sala de aula, e ficamos de castigo. A surpresa do dia foi que eu estivesse lá também. A miúda “bem comportada” a fazer o que não devia. Fiquei envergonhada: hoje lembro-me com clareza da cara de reprovação da professora a olhar para mim.

 

O que eu queria era ter uma bola nos pés para me divertir. O gosto pelo futebol veio-me de casa. Com irmão e pai ferrenhos pelo Porto, desde cedo tive curiosidade sobre todo aquele mundo. Lembro-me dos cromos que o meu irmão guardava, o Folha, o Peixe, o Secretário, o Drulovic. Das idas às Antas com o meu pai. De ele ter esquemas preparados para deixar o carro estrategicamente próximo. O estádio coberto de azul, as músicas em coro, os abraços aos desconhecidos. Nos lugares cativos daquela bancada, todos se conheciam. Mesmo não sabendo os nomes uns dos outros, todos partilhavam a mesma paixão.

 

Eu, com a minha camisola do Porto, vibrava com aquele ambiente, apesar de me intrigar como é que aquela gente conseguia ver bem o jogo e conhecer os jogadores àquela distância. Concentrava-me em seguir o ponto branco no relvado, e decorava a baliza em que tínhamos que marcar. Depois, era acompanhar a alegria do meu pai e das pessoas à minha volta.

 

Lembro-me de algumas músicas. Uma delas, que não me esqueço, era assim: “Ele é o nº 10 e finta com os dois pés, é melhor que o Pelé, é o Deco allez allez". Foram os tempos áureos do Porto, e eu ia ao estádio para vê-los ganhar. Certinho como dois mais dois serem quatro. Lembro-me do bi, do tri, do tetra, do penta. Foi à custa do FC Porto que aprendi estas palavras.

 

Na altura da vitória da Liga dos Campeões, em 2004, eu já começava a descobrir que havia vida para além do futebol, mas ainda vivi intensamente toda aquela alegria.

 

É por isso que o jogo de despedida do Deco, que vi em casa, num streaming rasca, me fez lembrar tantas alegrias de infância. Quando, aos 14 minutos, Benny McCarthy marcou o segundo golo do Porto, com a assistência do “Mágico”, cantei interiormente esta música, com uma letra nossa, em coro com o estádio.

 

Também por isso me ri tanto com as prestações de Jorge Costa e Jorge Andrade, que apesar da barriga conseguiram ser agressivos como sempre. Com a seriedade do Fernando Santos, que parecia estar a jogar a final do Mundial. Com a genica do Secretário, a dar o tudo por tudo para mostrar que não está velho. Com o pedido de desculpas sentido do Deco, quando marcou um golo com a camisola do Barcelona.

 

Mas o mais bonito foi o último golo, da autoria do “Mágico”, com Baía a ajudar e a não se esforçar muito para o apanhar. O facto de o jogo ter acabado ali, para que o público guardasse esta última imagem, do “seu” Deco a brilhar uma última vez.

 

Também eu quis pôr-me de pé a aplaudir tamanho amor à camisola. Deco desfez-se em agradecimentos e percorreu com a família a sua casa, uma última vez. Todos agradecidos, os adeptos pela magnífica carreira e entrega que aquele jogador nos deu, Deco pelo carinho e pelo respeito. Mas não dá para não respeitar um jogador assim.

 

Isto sim, foi um espetáculo de futebol. Golos bonitos, camaradagem, generosidade. Foi bonito de se ver. É isto que guardamos do futebol. Não são as guerrinhas entre clubes, é esta paixão indescritível e esta nostalgia. Não se explica: vive-se e celebra-se.

 

Obrigada, Mágico Deco.

Autoria e outros dados (tags, etc)


1 comentário

Sem imagem de perfil

De jogos de casino a 30.07.2014 às 20:56

Foi uma bonita festa e ao mesmo tempo tão simbólica. Ver de novo esta equipa junta, 10 anos depois, traz-me memórias do melhor FCP que vi jogar!

E o Deco, será sempre o Mágico... Foi um prazer vê-lo jogar! :)

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D



Passaram por cá:

hits counter
hits counter