Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]


 

Porque às vezes vida de jornalista é esperar, esperar eternidades para poder dar uma informação, mostrar uma imagem, contar uma história, hoje estou entediada e só me apetece dormir. Obrigadinha, Ricardo Salgado.

 

Ainda assim, tenho uma réstia de energia para reclamar com o Pingo Doce, que hoje me enervou com a aquela treta do "não aceitamos pagamentos com multibanco abaixo dos 20 euros". Eu já sei que eles, coitadinhos, têm que pagar comissões ao banco por utilizar o multibanco, e com esta política poupam uns valentes milhões. Mas vale tudo para meterem mais algum ao bolso? E os clientes que deixam lá grande parte do seu ordenado, têm que andar sempre a correr para a caixa de multibanco antes de fazer uma compra? Filas no multibanco, filas no supermercado... afinal, quanto custa o conforto e a satisfação do cliente?

 

Eu até percebo que há pessoas que exageram e querem pagar um rebuçado com multibanco, mas quão razoável é dizer a um cliente que acaba de gastar mais de 15 euros em compras "não aceitamos o seu cartão, vá lá fora levantar dinheiro se quer ter as suas compras"? Isto depois de o cartão com o subsídio de alimentação (que praticamente não implica taxas) dar "não autorizado"! Não me chega constatar que ainda não chegamos ao fim do mês e já estou pobre, ainda tenho que levar com as políticas de poupança de milionários? E se eu tiver só 9 euros na conta, não posso comprar nada no Pingo Doce?

 

Há sempre uma justificação para tudo, com estes senhores. A limitação ao multibanco é para "concretizar mais oportunidades de poupança para o cliente", os sacos são para "defender o ambiente". Admiram-me estas empresas ecológicas que só olham para o ambiente quando podem lucrar com isso. Basta passear por um supermercado Pingo Doce para perceber que as preocupações ecológicas não existem por ali. Para disfarçar, ao menos podiam aprender com o Lidl, que tem tudo em caixotes de cartão e não se dá ao trabalho de gastar dinheiro em grandes prateleiras. Não é bonito, tem ar de armazém, mas é prático e ecológico. No Pingo Doce, tudo tem um ar muito apelativo, os produtos são embalados em quantidades escandalosas de plástico, e depois chegamos à caixa e levamos a chapada ecológica de pagar pelos sacos.

 

Estou chateada. Mas a minha preguiça vai-me fazer engolir isto tudo e continuar a encher-lhes os bolsos. Tio Belmiro, podia fazer mais hipermercados na baixa de Lisboa/Santa Apolónia? Faça lá o obséquio, o cliente pouco ecológico e pobre agradece!

Autoria e outros dados (tags, etc)


2 comentários

Imagem de perfil

De Miguel Alexandre Pereira a 25.07.2014 às 11:13

Infelizmente estas empresas só pensam em garantir lucro, o cliente passa sempre para segundo plano. Entendo perfeitamente a tua revolta...
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 25.07.2014 às 23:17

Há pouco tempo explicaram-me como é possível fazer promoções como o pingo doce (e os restantes) faz: compram a 90 dias (quem sabe mais!) aos fornecedores e vendem com promoção na loja. Esse dinheiro é posto a render, durante os tais 90 dias ou mais e só depois se paga aos fornecedores!

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D



Passaram por cá:

hits counter
hits counter